Author: Gleydson Mazioli

OProjetoFenix

Se você leu o Guia Essencial DevOps (free!) que postamos ontem e quer continuar melhorando sua capacidade gerencial durante o feriadão, através de uma leitura leve e divertida, a gente sugere o livro “O Projeto Fênix”. ⠀

Com um roteiro hollywoodiano, essa história fictícia sobre o dia a dia dos profissionais de TI mostra Bill, novo gerente de TI da Parts Unlimited, tentando salvar o Projeto Fênix, crucial para o futuro da empresa.

Ele precisará organizar como o trabalho deve ser feito, otimizar o departamento e continuar a servir eficazmente às outras funções de negócios enquanto tenta depender menos de Brent (o principal profissional de TI) e também conviver com a gerente de marketing que a cada dia aparece com uma nova urgência.

Todo líder de negócios e profissional de TI deve ler este livro! Ele está disponível na Amazon, em português, e na Kindle Store e Audible, em inglês.

GuiaDevOps-Blog

Você precisa aprender sobre DevOps, mas não sabe por onde começar? Este é o guia essencial DevOps, criado especialmente para ensiná-lo, em menos de 10 minutos, tudo o que você precisa saber para participar da próxima revolução da TI.

1. Introdução

A criação de apps em questão de dias ou horas com o qual estamos acostumados atualmente não poderia ser mais diferente do cenário de desenvolvimento de software até alguns anos atrás. Levava-se meses para modelar, mais alguns anos para desenvolver e o lançamento de uma nova versão era comemorado com direito a eventos, discursos do CEO e notas em jornais e revistas.

O surgimento de serviços web muito mais dinâmicos, como as redes sociais Facebook, Flickr, e o finado Orkut, e de negócios virtuais como Amazon, Netflix e Uber, que têm como foco a inovação constante, mudou esse paradigma, forçando uma das maiores transformações de TI que a indústria já viu.

A área de desenvolvimento rapidamente adotou métodos ágeis como Scrum, permitindo a entrega constante novos códigos, mas ainda assim não conseguia colocar em produção, na mesma velocidade, as versões criadas. A área de operações, que tinha como objetivo a alta disponibilidade da infraestrutura de serviços, precisava criar um ambiente de homologações, testar a infraestrutura e minimizar qualquer instabilidade, aumentando muito o tempo de deploy!

Como fazer então para que a equipe de desenvolvimento, operações e demais grupo dentro da TI, colaborem e trabalhem com o mesmo objetivo, que deve ser sempre a entrega rápida e confiável de software para apoiar os negócios da empresa?

2. O Conceito DevOps

É aqui que entra a cultura DevOps:

DevOps é definido como uma série de práticas de engenharia de software que têm como objetivo unificar as áreas de desenvolvimento (Dev) e operações (Ops).

O termo DevOps foi criado por Andrew Shafer e Patrick Debois, em 2008, durante a Conference Agile, em Toronto, e desde 2009 tem sido constantemente promovido através de uma série de eventos chamados “devopsdays” que começou na Bélgica e agora se espalhou para outros países.

DevOps, portanto, é mais do que uma metodologia ou um conjunto de ferramentas. É bem verdade que a adoção da cultura DevOps tem sido possível devido ao surgimento de várias ferramentas de automação de data centers e de gerenciamento de configuração, como o Puppet, Ansible, Chef, OpenStack e OpenNebula, mas apenas a implantação delas não permitirá que sua organização obtenha todos benefícios da cultura DevOps (até porque profissionais de Unix e Linux sempre buscaram a automatização de suas tarefas #shellscript).

Os fatores que têm promovido a adoção da cultura DevOps são:

  • A demanda por um aumento na taxa de liberação de novas versões, vinda da área de negócios;
  • A implantação do Scrum e de outros processos e métodos de desenvolvimento ágeis;
  • Um maior foco em automação de testes e métodos de integração contínua;
  • A ampla disponibilidade de infraestrutura virtualizada e nas nuvens e
  • A promoção ampla de melhores práticas.

3. Objetivos da Cultura DevOps

DevOps, no entanto, será apenas mais uma palavra da moda se não vier acompanhada de uma mudança de comportamento, em todos os níveis hierarquicos. Times que adotam a cultura DevOps têm como objetivos:

  • Reduzir o ciclo de desenvolvimento;
  • Aumentar a frequência de deploys;
  • Maximizar a previsibilidade e eficiência dos processos operacionais e
  • Principalmente, alinhar todos as ações dos grupos de TI com os objetivos de negócio da organização.

Para isso, desenvolvedores, analistas e gerentes dentro de times DevOps devem adotar uma atitude de responsabilidade compartilhada, trabalhando em colaboração com os demais grupos e valorizar feedback, o que permite a melhoria contínua dos processos de trabalho entre desenvolvedores e operações e do sistema em implantação.

Também é preciso compreender que a automação facilita colaboração, mas também traz eficiência e fornece mais tempo para inovação, tornando os profissionais de TI mais responsáveis já que conhecem o seu objetivo principal (apoiar o negócio, lembra?) e devem trabalhar na busca constante de soluções para isso.

4. Benefícios da Cultura DevOps

Os benefícios mensuráveis da cultura DevOps incluem:

  • Entrega rápida e eficaz de softwares;
  • Capacidade aprimorada de pesquisa e inovação;
  • Solidificação de uma cultura voltada ao desempenho;
  • Menos riscos com produtos de qualidade;
  • Melhoria na satisfação de seus consumidores e
  • Redução de custos.

Uma pesquisa feita nos últimos seis anos demonstrou evidências que empresas que adotam práticas DevOps obtem resultados significativos e realizam deploys 46 vezes mais que seus competidores, realizam mudanças 440 vezes mais rápido e recuperam-se de falhas com uma eficácia 96 vezes maior.

5. DevOps na Prática

Numa economia que pressiona mais do que nunca para que as empresas se tornem mais escalonáveis e mais ágeis sem sacrificar a confiabilidade ou performance, a cultura DevOps deixou de ser uma vantagem competitiva: é adotar ou ficar pelo caminho.

No próximo artigo da série #DNADevOps, que publicaremos na próxima terça-feira, vamos traçar um plano de ação para guiar você na adoção da cultura DevOps. Vamos ver como implantar na prática, baseando-nos nos três pilares: Integração Contínua, Implantação Contínua e Feedback Contínuo.

DevOpsDays São Paulo

E se você se animou e quer se aprofundar no tema, que tal participar do evento DevOpsDays, que acontecerá nos próximos dias em SP? Palestrarão nomes de peso, como Fernanda Weiden, diretora de produção do Facebook, que fazem valer o ingresso!